[Filme] Imortais

Imortais (Immortals, 2011) conta com os mesmos produtores de 300 de Esparta, mas não alcançaram o mesmo nível de filme blockbuster. O roteiro ficou interessante, pega diversos elementos de diferentes mitos gregos e mistura numa história que apresenta alguma semelhança com os mitos. Zeus protege e ensina um filho que está predestinado a ser um grande herói e salvar a Hélade de um grande mal, utilizando para isso um artefato sagrado, no caso o Arco de Épiro. Tal arco não faz parte da mitologia grega e Épiro é uma região da Grécia, onde se localizam dois dos oráculos mais famosos, o de Zeus e o dos mortos (Necromanteion).

O Teseu do filme não tem muito a ver com o da mitologia, exceto pelo fato de ser um herói grego. É o escolhido de Zeus para proteger a humanidade do Rei Hipérion, que deseja libertar os Titãs e aniquilar os deuses e, para tanto, busca o tal Arco, a única ferramenta capaz de liberar os Titãs. Eu presumi que Teseu fosse filho do deus-pai, mesmo que a história diga que a mãe do herói tenha sido estuprada e escorraçada do convívio social por ser mãe solteira. (Se pararmos para analisar, o filme é mais do que uma narrativa de herói mitológico, faz uma crítica social também. A sociedade que imputa à mulher a culpa pelo estupro. Isso dá um texto bem mais aprofundado.) Teseu não aceita seu papel de início. A oráculo Phaedra é quem o leva a compreender que deve fazer o máximo para proteger os seus iguais.

O herói não é dos mais espertos de início e, apesar de uma antiga lei proibir que as divindades se intrometam diretamente nos destinos dos humanos, Poseidon, Atena (que está mais para Afrodite) e Ares aparecem para salvar a pele mortal de Teseu. Então, o rapaz segue obedientemente o caminho do herói, com coragem, nobreza, valor e paixão pela oráculo, encontrando o artefato mágico, entregando-o na mão de Hipérion e, por fim, resgatando-o (de certa forma). Por mais que a história não seja um mito tradicional, não há mal algum em misturar histórias e criar uma nova a partir delas. Não diria que o roteiro de Imortais é uma das melhores adaptações que já vi, mas é divertida e acaba fazendo alusão à diversos elementos, como o Touro de Creta e o Minotauro, dando um novo significado a eles.

O que não gostei no filme foi a estética. Ao invés da cor do filme remeter à antiguidade, ficou com cara de filme velho, como aqueles primeiros filmes coloridos do século passado. Sabe aqueles filmes bíblicos velhões, como o que conta a história de Moisés? É por aí. Os efeitos especiais, pelo menos, são bem decentes e contemporâneos. O figurino também deixa a desejar, por não conseguir nos enganar. O roteiro poderia ser melhor estruturado, a história é bem previsível, mesmo não sendo algo conhecido.

Título no Brasil: Imortais
Título original: Immortals
Produção: Relativity Media, Virgin Produced, Mark Canton Productions
Direção:Tarsem Singh
Roteiro:Charley Parlapanides, Vlas Parlapanides
Gênero: Ação, Aventura, Fantasia, Drama
Duração: 110 minutos
Ano de lançamento: 30 de dezembro de 2011 (BR); 11 de novembro de 2011 (EUA)

Elenco:
Henry Cavill … Teseu
Mickey Rourke … Rei Hipérion
Stephen Dorff … Stavros
Freida Pinto … Phaedra
Luke Evans … Zeus
John Hurt … Velho
Joseph Morgan … Lisandro
Anne Day-Jones … Aethra
Greg Bryk … Monge
Alan Van Sprang … Dareios
Peter Stebbings … Helios
Daniel Sharman … Ares
Isabel Lucas … Atena
Kellan Lutz … Poseidon
Steve Byers … Heracles
Stephen McHattie … Cassander
Matthew G. Taylor … Mondragon (Guarda do Re)
Romano Orzari … Ícaro
Corey Sevier … Apolo
Conrad Pla … The Jailer
Neil Napier … Beast Handler
Tyrone Benskin … Capitão Hoplita
Abdul Ayoola … Kerkyon (Guarda)
Dylan Smith … Stephanos
Robert Naylor … Teseu jovem
Mercedes Leggett … Alta sacerdotisa #2
Kaniehtiio Horn … Alta sacerdotisa #3
Ayisha Issa … Alta sacerdotisa #4
Danny Blanco Hall … Archon
Robert Maillet … Minotauro
Alain Chanoine … Checkpoint Gatekeeper
Edward Yankie … Checkpoint Soldier
Gage Munroe … Acamas
Aron Tomori … Lisandro jovem
Marcello Bezina … Village Father
Roc LaFortune … General Hoplita
Jade Larocque … Jovem virgem #1
Charlie Duret … Jovem virgem #2
Alisha Nagarsheth … Phaedra jovem
Makayla Jayde McManus-Leggett … Sacerdotisa jovem #2
Madison McAleer … Sacerdotisa jovem #3
Zelia Mouana-Bankouezi … Sacerdotisa jovem #4
André Kasper Kolstad … Garotinho
Tyler Hynes … Escravo
Carlo Mestroni … Homem santo
Chantal Simard … Mãe de Lisandro
Brent Skagford … Sentrião Hoplita
Jason Cavalier … Heraklion Watchman
Kevin Kelsall … Soldado Hoplita #2
Patrick Sabongui … Soldado Hoplita #3
Samuel Platel … Heraklion #1
Lise Sita … Villager #1
Francis LaFreniere … Villager #2
Shyrelle Yates … Criança do vilarejo #1
John Churchill … Criança do vilarejo #2
Austin Beauchamp … Criança do vilarejo #3
Jimmy Duperval … Soldado
Mark Margolis … Novo sacerdote
Tamas Menyhart … Heraklion
Isabelle Champeau … Woman at Checkpoint
Andre Givogue … Soldado Hoplita
Randy Herman … Soldado Hoplita
Emilie Paquet … Villager
James A. Woods … Capitão dos arqueiros

Anúncios

Sobre Fernanda Eggers

Comunicóloga, fotógrafa, jornalista, revisora, apaixonada por cinema, HQs e literatura. (E gatos.)
Esse post foi publicado em Ação, Aventura, cinema, Fantasia, Imortais, Mitologia. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s