[Filme] Alice no País das Maravilhas

*Texto originalmente publicado no Excentricidades Ululantes, em abril de 2010.*

Após esperar dois anos por este filme, fui ao cinema assiti-lo sem a menor empolgação. Explico: a produção do filme fez o maior alarde, criou a maior expectativa, todo mundo ficou cogitando se seria um filme sombrio ou extremamente colorido, qual lado da criança louca de Tim Burton seria utilizado para o filme. Confesso que, logo de cara, há dois anos, achei que não podia haver melhor diretor nem melhor Chapeleiro Maluco (Johnny Depp – de quem gosto muito, só não acho bonito).

Aí lançam o filme lá fora e nós, brasileiros, ficamos a ver navios e lindos pôsteres nas entradas dos cinemas. Babei aqui e babei em Teresópolis. Finalmente chega o dia da estreia aqui e eu agendo com uma amiga para ver no primeiro fim de semana. Não dá muito certo, mas acabamos indo ver na segunda-feira, 25/04. Vale salientar que, depois dos twits de @thikos, eu fiquei sem nem querer perder meu tempo, meu ingressp já havia sido comprado e minha seria primeira experiência com as novas salas 3D. Fui.

E fui com expectativas baixíssimas. Já sabia que Burton ia misturar um pouco dos dois livros, Alice no País das Maravilhas e Alice Através do Espelho, se ater mais ao segundo e adicionar coisas que não estão em nenhum dos dois. Tinha noção da faixa etária recomendada de 10 anos e já tinha lido por cima que não podia esperar grande coisa dos diálogos.

Estamos com uma história infantil nas mãos. E é isso que Alice é: uma história para crianças. Os livros foram feitos para elas. A animação da Disney foi feita para elas. A obra literária é mais robusta, exige um pouquinho mais da mente, trabalha um pouco mais certas coisas, porque o veículo – o livro – permite isso. E lembrem-se: as obras de Hans Christian Andersen e dos irmãos Grimm também são para crianças e nem por isso deixam de ser, muitas vezes, assustadoras. A Pequena Sereia mesmo passa por mil torturas e, no final, se dissolve em espuma! A Disney trouxe uma versão bem mais açucarada e os nossos tempos dizem que criança não lida com morte, perda e essas coisas todas. Mas estou divagando, isso é um texto sobre Alice no País das Maravilhas, não uma comparação entre os contos de fadas originais e as versões Disney, que eu também adoro.

O visual do filme é belo! Os figurinos e maquiagens me deixaram boquiaberta. E sim, tivemos Burton, a criança doida colorida, ainda que, assim que Alice entra no mundo fantástico, nos deparemos com algo bem mais sombrio do que a versão anterior (a animação), mas que eu achei condizente com o livro.

Alice (Mia Wasikowska) se recusa a acreditar que esteja vivendo toda aquela loucura até quase o fim da trama, mas ainda assim ajuda seus novos velhos amigos o máximo que pode. No final, quando finalmente acredita no impossível, leva para o mundo “real” tudo o que aprendeu sobre si no mundo inferior e toma as rédeas da própria vida de um jeito muito pouco condizente com uma garota da época. Nada que eu não esperasse. Mas sou grande fã de desenho animado, comédias românticas açúcar-com-água e histórias de “é mesmo, eu sou a dona do meu nariz!”. Como não fui esperando ver o livro narrado na tela e querendo me encantar com as imagens fabulosas, valeu a pena. Mas eu não pagaria para ver novamente no cinema.

Além da cabeçorra fabulosa da Rainha Vermelha (Helena Bonham Carter), que acredito ter ficado excelente no personagem, adorei os trejeitos “nojentinha” da Rainha Branca (Anne Hathaway)! Aquela mãozinha sempre no ar, meio que “não quero tocar o mundo”, tornaram a personagem marcante e engraçada, além de – vejam só! – não ter ficado nojentinha.

O Gato que Ri (Cheshire Cat), com voz do Stephen Fry, é, mais uma vez, o meu personagem preferido! Não falarei a respeito dele, porque não sei como fazê-lo sem contar detalhes importantes do filme e quero evitar os spoilers.

No fim das contas, não é tudo aquilo que dois anos de teaser nos fizeram crer que seria. Acho que isso se deve justamente à criação de expectativas. Todo mundo foi ao cinema esperando ser arrebatado pela genialidade do filme ou algo assim e não é para tanto. Mas também não é um filme ruim, que lhe faça implorar pela hora de acabar para sair logo do cinema porque não aguenta mais. Vale a pena pegar para ver em casa.

 

Título no Brasil: Alice no País das Maravilhas
Título original: Alice in Wonderland
Produção: Walt Disney Pictures
Direção: Tim Burton
Roteiro: Linda Woolverton (roteiro), Lewis Carroll (livros)
Gênero: Aventura, Fantasia
Duração: 108 minutos
Ano de lançamento: 23 de abril de 2010 (BR); 5 de março de 2011 (EUA)

Elenco
Johnny Depp … Mad Hatter
Mia Wasikowska … Alice Kingsley
Helena Bonham Carter … Rainha Vermelha
Anne Hathaway … Rainha Branca
Crispin Glover … Stayne – Cavaleiro de Copas
Matt Lucas … Tweedledee / Tweedledum
Michael Sheen … Coelho Branco (voz)
Stephen Fry … Gato de Cheshire (ou Gato Que Ri) (voz)
Alan Rickman … Lagarta Azul (voz)
Barbara Windsor … Ratinho (voz)
Paul Whitehouse … Lebre de Março (voz)
Timothy Spall … Bayard (voz)
Marton Csokas … Charles Kingsleigh
Tim Pigott-Smith … Lorde Ascot
John Surman … Colleague #1
Peter Mattinson … Colleague #2
Lindsay Duncan … Helen Kingsleigh
Geraldine James … Lady Ascot
Leo Bill … Hamish
Frances de la Tour … Tia Imogene
Jemma Powell … Margaret Kingsleigh
John Hopkins … Lowell
Eleanor Gecks … Faith Chattaway
Eleanor Tomlinson … Fiona Chattaway
Rebecca Crookshank … Strange Woman Kisser
Michael Gough … Pássaro Dodô (voz)
Imelda Staunton … Flores Altas (voz)
Christopher Lee … Jabberwocky (voz)
Mairi Ella Challen … Alice aos 6 anos
Holly Hawkins … Mulher com nariz grande na corte da Rainha Vermelha
Lucy Davenport … Mulher com orelhas grandes na corte da Rainha Vermelha
Joel Swetow … Homem com barriga grande na corte da Rainha Vermelha
Jessica Oyelowo … Mulher com busto largo na corte da Rainha Vermelha
Ethan Cohn … Homem com queixo grande na corte da Rainha Vermelha
Richard Alonzo … Homem com testa larga na corte da Rainha Vermelha
Harry Taylor … Capitão do navio
Jim Carter … Executor (voz)
Frank Welker … Efeitos vocais adicionais (voz)
David ‘Elsewhere’ Bernal … Hatter Futterwacken Dance Double
Chris Grabher … Hightopp Hat Juggler
Caroline Royce … Party Dancer
Bonnie Parker … Party Dancer
Simone Sault … Party Dancer
Leigh Daniels … Party Dancer
Carl Walker … Party Dancer
Matt Dempsey … Party Dancer
Chris Grierson … Party Dancer
Dale Mercer … Party Dancer
David Lale … Party Musician
John Bass … Party Musician
Nicholas Levy … Party Musician
Patrick Roberts … Party Musician
Phillip Granell … Party Musician
Stephen Giles … Party Musician
Hilary Morris … Maypole Dancer
Jacqueline Tribble … White Queen Loyalist
Danny Emes … Jubbawokkie

Anúncios

Sobre Fernanda Eggers

Comunicóloga, fotógrafa, jornalista, revisora, apaixonada por cinema, HQs e literatura. (E gatos.)
Esse post foi publicado em Alice no País das Maravilhas, Aventura, cinema, conto de fadas, Disney, Fantasia, literatura, literatura inglesa. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s