Piratas do Caribe: No Fim do Mundo

Índice:
Sobre o filme
Trilha Sonora
Trailer e Downloads

Ah, o Caribe… Sol, mar, água translúcida, praias paradisíacas, vistas estonteantes de tão belas: o destino ideal para a viagem dos sonhos, certo? Talvez, nos dias de hoje. O Caribe nem sempre foi tão bem visto assim.

Nos séculos XVI e XVII foi o refúgio dos temidos piratas. É nessa época que surge o estereótipo dos piratas que conhecemos até hoje. Esses piratas ficaram conhecidos até hoje como “piratas do caribe”.

Apesar desses piratas serem os mais famosos, isso tudo começou com os gregos, que roubavam mercadorias de navios fenícios e assírios, por volta de 735 a.C.

Os piratas, especialmente os europeus, eram muito supersticiosos. A trilogia “Piratas do Caribe” evidencia essa supersticiosidade, tendo nela e na mitologia base para suas histórias. O primeiro filme (A Maldição do Pérola Negra) trás a busca infatigável por riquezas e o medo das maldições, o segundo (O Baú da Morte) , trabalha com a lenda do Holandês Voador (The Flying Dutchman), navio amaldiçoado que recruta moribundos para sua tripulação.

Piratas do Caribe No Fim do Mundo” envolve novamente o Holandês Voador e outros aspectos já trabalhados: o misticismo, a busca pela imortalidade e por riquezas, maldições, superstições e a constante perseguição da marinha inglesa. A novidade é a mitologia, a existência de um outro mundo e a aparição de uma deusa do mar.

O filme começa sombrio, coisa que não ocorre com os outros, mostrando a execução de piratas e de qualquer um que colabore com a pirataria. Uma música começa a ser cantada e a câmera destaca uma moeda que cai da mão de um menino quando este é enforcado.

A trama é repleta de conflitos, alguns menores, como o romance de Elizabeth Swann (Keira Knightley) e Will Turner (Orlando Bloom) e outros maiores, como a tentativa dos piratas de resgatar o capitão Jack Sparrow (Johnny Depp) do outro mundo, onde ele é obrigado a conviver consigo mesmo no Pérola Negra encalhado numa praia sem fim.

Sparrow garante a diversão do filme (mesmo estando “sóbrio” durante toda a primeira metade), que é mais denso que os anteriores. Há uma reunião de todos os capitães de navios piratas e eles precisam decidir se libertam ou não a deusa do mar (Tia Dalma / Calypso, interpretada por Naomie Harris) e se guerreiam ou não contra a marinha inglesa, que tem o Holandês Voador e seu capitão, Davy Jones (Bill Nighy), sob o seu comando.

O último episódio da trilogia conta com muito mais efeitos especiais que os outros dois, e serve de amarração para ambos os filmes.

Em Alto Mar

Haviam diversos tipos de “pilhadores marítimos” nos séculos XVI / XVII além dos piratas, com diferentes nomes. Alguns deles:

Corsário: tinham carta branca do governo para praticar a pirataria contra países inimigos, enfraquecendo suas frotas.Vários piratas, quando capturados, mostravam uma carta de corso (dada pelo governo a um corsário) falsa, para tentar escapar da forca. Muitos corsários foram executados como piratas, já que eram capturados por nações inimigas.
Bucaneiro: refere-se aos piratas originários dos portos das Caraíbas e da ilha de Tortuga (um grande refúgio de piratas, na época). O termo ficou muito conhecido para se referir aos navios que utilizavam, que eram, geralmente, embarcações de pequeno porte.

O capitão de um navio pirata era escolhido por votação e, se a tripulação não concordava mais com o capitão em questão, poderia provocar um motim.

Um castigo muito comum entre os piratas, visto, inclusive, no primeiro filme da trilogia Piratas do Caribe, era abandonar o homem numa ilha deserta com uma garrafa de rum e uma arma com apenas uma bala.

As Lendas

O Holandês Voador: a versão mais famosa dessa lenda diz que o capitão do navio, Bernard Fokke, tentou atravessar o Estreito de Magalhães, do qual escapou com vida ao fazer um pacto com o diabo, que o manteve vivo por ter sido vencido num jogo de dados. Por ter trapaceado no jogo, o diabo amaldiçoou a embarcação e seu capitão, agora conhecido por Davy Jones, e eles teriam que vagar eternamente pelos mares, afundando outras embarcações que os avistassem. Davy Jones era o único capaz de controlar o…
Kraken: monstro marinho com feições monstruosas, parecido com uma lula gigante.

Mancha Negra: não passava de uma forma de fazer ultimatos, que poderia ser entregue a qualquer pirata.

Nos filmes, as 3 lendas aparecem. A grande diferença é em relação à Mancha Negra. Ela aparece como a Marca Negra, com formato de uma ferida na mão do capitão Jack Sparrow, mas não deixa de ser um ultimato.

Poster Piratas do Caribe

Piratas do Caribe: No Fim do Mundo
Título original: Pirates of Caribbean: At World’s End
Direção: Gore Verbinski
Música: Hans Zimmer
Distribuição: Buena Vista
Produção: Jerry Bruckheimer Films, Walt Disney Pictures
Gênero: Aventura, Ação, Comédia
Duração: 168 minutos
Lançamento (EUA): 2007

Anúncios

Sobre Fernanda Eggers

Comunicóloga, fotógrafa, jornalista, revisora, apaixonada por cinema, HQs e literatura. (E gatos.)
Esse post foi publicado em Ação, Aventura, cinema, Comédia, Disney, História, No Fim do Mundo, Piratas do Caribe. Bookmark o link permanente.

9 respostas para Piratas do Caribe: No Fim do Mundo

  1. Adorei a escolha, mais uma vez vc quebra tabus e mostra q blockbusters podem sim ser fonte de cultura. O texto tah muito dinâmico, dá vontade de ler mesmo ele sendo um pouco longo para os padrões q a gente vê em outros blogs. Sem falar do projeto do blog que é mto legal, não se limita a apenas comentar o filme mas também de analisá-lo do ponto de vista histórico e cultural. Parabéns Fefe! tah arrasando =***

  2. Fernanda disse:

    Obrigada, Rayssa!!!
    O objetivo é exatamente esse, ir além do que vemos nas telonas. =)
    =**

  3. Bárbara disse:

    Nem li esse, pq não assisti o filme ainda, não quero estragar a surpresa. =P To esperando chegar nas locadoras.

  4. lionardo disse:

    Trazer lendas para a história de Piratas criou um clima de fantasia maravilhoso. O Black Pearl e a tripulação amaldiçoada, Davy Jones e o Flying Dutchman, o Kraken… E Jack, que já dispensa adjetivos, Elizabeth linda e perigosa, Barbossa…

    Piratas do Caribe é fantástico. Está entre as melhores trilogias já feitas, do lado de Senhor dos Anéis e Star Wars.

  5. Nobody disse:

    so pra constar, star war nao eh trilogia, são 6 filmes

  6. gabriela disse:

    na verdade a lenda do olandes voador é q a deusa caypso puniu Davy Jones , fazendo com q ele levasse as almas q morreras no mar até o mundo dos mortos. E ele só pode ir a terra d 10 em 10 anos.
    E a lenda da mancha negra é q d quem a leva chama um monstro chamado no filme de krakem ou cefalópode que tem o bafo de 1000 corpos apodrecidos e te leva para o funda das profundezas do mar junto com seu navio, foi assim q o capitão Jack Sparrow morreu no segundo filme piratas do caribe e o baú da morte.

    bjss°

  7. maisa disse:

    esse filme e otimo eu adorei ter visto ele, e adorei ter visto o jhonny depp ele e perfeito eu queria um pirata dequele na minha cama thau beijosssss

  8. Gabriela Flores Freitas disse:

    Amo o Johnny Depp e tambem o CAPIÃO Sparrow, tenho filmes e revistas acho o Depp tao lindo de pirata. TE AMO JOHNNY DEPP, TE AMO JACK SPARROW.

  9. Clezio Ferreira disse:

    Bem que poderia ter continuação…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s